Tradutores na Literatura

Há diversos livros e contos que retratam um pouco da profissão de tradutores e intérpretes através de seus enredos e personagens. Muitos autores têm chances de conhecer intimamente as agruras e felicidades da profissão. Além do contato com colegas ao longo das produções editoriais, muitos escritores também são tradutores. Por isso, não é raro encontrarmos tradutores retratados nas histórias de modo bastante fiel. Além de ser interessante para quem quer ingressar na área, é também uma diversão para quem já atua profissionalmente. Selecionamos abaixo algumas obras que ajudam a entender mais sobre o universo da tradução e seus profissionais:

1) CORAÇÃO TÃO BRANCO de Javier Marías
2) TRAVESSURAS DA MENINA MÁ de Mario Vargas Llosa
3) BEL CANTO de Ann Patchett
4) BESTIÁRIO de Julio Cortázar
5) O TRADUTOR CLEPTOMANÍACO de Dezső Kosztolányi
6) O PASSADO de Alan Pauls
7) ENTRE DEUS VOIX de Jenny Sigot Müller
8) EU A AMAVA de Anna Gavalda
9) THE INTERPRETER de Suzanne Glass

………………………………………………………………………………………..

1) CORAÇÃO TÃO BRANCO de Javier Marías

tradstar-blog-traducao-na-literatura-javier-marias
Título original: Corazón Tan Blanco
País: Espanha
Tradução: Eduardo Brandão
ISBN: 9788535913194
Selo: Companhia de Bolso

Juan é intérprete e tradutor, como Luisa, com quem acabou de casar. Ouvir e contar é o seu ofício. Ouvir, para ele, é quase uma obsessão, como uma forma de fazer existir o que acontece. Mas devemos contar sempre o que ouvimos? Não é melhor, às vezes, calar, guardar segredo, para que o passado não permaneça presente? E não é melhor, às vezes, não ouvir, para não saber e, assim, nos proteger? Foi ouvindo sem querer que ele descobriu que sua tia não morrera de morte natural, mas se suicidara. E que, antes dela, outra esposa de seu pai, cuja existência até então ignorava, também morrera tragicamente. Ouvir essas revelações não buscadas agravou o mal-estar que Juan sentia desde o dia de seu casamento com Luisa, quando seu pai, durante a recepção no Cassino, chamou-o para uma conversa reservada e pronunciou a fatal palavra “segredo” em um conselho: “Quando tiver segredos ou se já os tiver, não os conte.”

………………………………………………………………………………………..

2) TRAVESSURAS DA MENINA MÁ de Mario Vargas Llosa

tradstar-blog-traducao-na-literatura-mario-vargas-llosa
Título original: Travesuras de la niña mala
País: Peru
Tradução: J. Teixeira de Aguilar
ISBN: 9788573028089
Selo: Dom Quixote

Neste romance de inspiração autobiográfica, o jovem Ricardo tem apenas duas ambições na vida: amar a Niña Mala e morar em Paris. Ele se instala na capital da França como tradutor e intérprete, mas sua amada atravessará seu caminho sob diversos disfarces: aprendiz de revolucionária na Paris e na Havana dos anos 60, esposa de um milionário britânico na London da década de 70, amante de um mafioso japonês e organizadora de golpes, tramoias, mentiras e traições que infernizam a vida de seu eterno admirador. Aos poucos, descobrimos alguns de seus segredos, com a origem de suas inquietações nas iniquidades da vida peruana. Traz uma mini-galeria de personagens super interessantes que são colegas do protagonista nas cabines.

………………………………………………………………………………………..

3) BEL CANTO de Ann Patchett

tradstar-blog-traducao-bel-canto

Título original: Bel Canto
País: Estados Unidos
Tradução: Maria Carmelita Dias
ISBN: 978-85-8057-347-3
Selo: Intrínseca

Bel Canto é um romance de 2001 que ganhou o Orange Prize e o Faulkner Award de ficção. Best-seller, liderou o ranking dos Melhores Livros do Ano da Amazon em 2001. O livro trata de um grupo terrorista com altos executivos e pessoas de diferenciada posição política. Ele explora como os terroristas e reféns se relacionam em uma casa, juntos por vários meses. Muitos dos personagens formam laços inquebráveis ​​de amizade, enquanto outros também se apaixonam. O romance tem um intérprete no time de protagonistas, Gen Watanabe, que se vê incumbido de traduzir tudo para todos, chegando mesmo a intermediar declarações de amor. Gen é um jovem sensível e talentoso que fala muitas línguas. Ele as divide em “extremamente fluente, muito fluente, fluente, razoável e para leitura”. Ele é o centro da ação do romance, já que a maioria dos personagens só se comunica através dele. É profundamente preocupado com o Sr. Hosokawa, de quem é assistente. Embora os outros personagens confiem nele, ele se sente diferente do resto dos reféns porque é o único que não é rico ou poderoso.

………………………………………………………………………………………..

4) BESTIÁRIO de Julio Cortázar

tradstar-blog-traducao-julio-cortazar

Título original: Bestiario
País: Argentina
Tradução: Paulina Wacht e Ari Roitman
Selo: Civilização Brasileira

Livro surrealista de grande importância entre as obras do escritor argentino, o Bestiário contém o conto “Carta a uma senhorita em Paris” cuja história é narrada como se fosse mesmo uma carta a Andrée, que está em Paris, o narrador é um amigo que está passando uns dias em seu apartamento em Buenos Aires. O problema é que ele vomita coelhinhos e escreve a carta justamente para contar a ela sobre essa situação. A casa é repleta de dicionários, o que dá a entender que Andrée é tradutora e, mais adiante, o escritor da carta confirma que ele também é tradutor, pois está traduzindo um livro de André Gide, escritor francês, e está atrasado, provavelmente por causa dos coelhinhos. Nesse mundo construído por Cortázar o ambiente dos eventos é familiar e quando percebemos o sinistro está lá, escondido, pronto para emergir na realidade.

………………………………………………………………………………………..

5) O TRADUTOR CLEPTOMANÍACO de Dezső Kosztolányi

tradstar-blog-traducao-na-literatura-dezo

Título original: Esti Kornél Csodálatos Utazása
País: Hungria
Tradução: Ladslao Slado
ISBN: 85-85490-60-8 (esgotado)
Selo: Editora 34

Kosztolányi é um dos maiores autores húngaros. Em 1933 lançou um volume de contos protagonizados por seu personagem mais famoso, Kornél Esti (espécie de alter ego do autor), do qual foram extraídas as treze histórias de O tradutor cleptomaníaco. O conto que dá nome ao livro é sobre um tradutor que, ao traduzir um livro, subtrai elementos do texto original, como, por exemplo, joias, dinheiro, lustres etc.  Ao  traduzir o conteúdo, sempre algo se perde ou é “roubado” do original. Além de divertido, o conto também incita reflexões sobre a fidelidade e a honestidade dos tradutores no âmbito linguístico.

………………………………………………………………………………………..

6) O PASSADO de Alan Pauls

tradstar-blog-traducao-na-literatura-alan-pauls

Título original: El Pasado
País: Argentina
Tradução: Josely Vianna Baptista
ISBN: 9788575035948
Selo: Cosac Naify

O livro é sobre um tradutor que faz legendas para filmes e também trabalha como intérprete em conferências. Ele termina um relacionamento de doze anos com a namorada e, depois de um tempo e alguns acontecimentos marcantes, começa a sofrer de um tipo de amnésia e a ter lapsos linguísticos – começa a esquecer os idiomas que antes dominava, o que deve ser o pesadelo de qualquer tradutor. Apesar de ser uma questão superinteressante, o livro se centra nas aventuras amorosas do protagonista.

………………………………………………………………………………………..

7) ENTRE DEUS VOIX de Jenny Sigot Müller

tradstar-blog-traducao-na-literatura-jenny

Título original: Entre deux voix: Journal d’une jeune interprète de conférence
País: França
Tradução: (ainda sem tradução para o português)
ISBN-13: 978-2-88194-240-2
Selo: Mon Village; 1ª edição  de 2012

Sonia Clancy é uma jovem intérprete de conferência e tem tudo o que é preciso para ter sucesso. Ela é motivada, séria e ela tem o dom para línguas. Sua vida segue comum até que um detalhe, ou melhor, uma pessoa cruza seu caminho. Muito rapidamente, a cabine, seu local de trabalho, se transforma em uma gaiola de vidro e por trás de suas divisões opressivas, Sonia corre o risco de perder sua voz a qualquer momento. Primeiro romance da francesa Jenny Sigot Müller, Entre deux voix abre as portas da cabine dos intérpretes de conferência, este espaço confinado desconhecido do grande público, onde tudo se torna possível, até mesmo o impensável.

Sugestão de Olivier Mueller

………………………………………………………………………………………..

8) EU A AMAVA de Anna Gavalda

tradstar-blog-traducao-na-literatura-anna-gavalda

Título original: Je l’aimais
País: França
Tradução: Procópio Abreu
ISBN-13: 9788501065094
Selo: Record; edição de 2012

Je l’aimais virou coqueluche na França e já foi traduzido para 21 idiomas, um tratado sobre orgulho, admiração, falsas aparências e, claro, o amor. Eu a Amava de Anna Gavalda tem um olhar íntimo sobre as dolorosas consequências e reflexões que ocasionalmente o adultério pode causar. Quando Pierre Dippel descobre que seu enteado abandonou a esposa e suas duas filhas, ele as leva para sua casa de campo. Lá, Chloé e Pierre conversam e se conhecem melhor. Pierre confessa seu próprio adultério, anos antes, com uma delicada tradutora de Hong Kong, chamada Mathilde, que o levou a fazer viagens pelo mundo, passando por grandes hotéis de países asiáticos. À medida que os dias passam, torna-se evidente que Pierre está arrependido por ter perdido a única mulher que amou verdadeiramente, enquanto Chloe é forçada a confrontar a raiva que sente por ter perdido a vida que tinha aprendido a amar.

O livro também inspirou o filme.
Sugestão de Vera Sokil

………………………………………………………………………………………..

9) THE INTERPRETER de Suzanne Glass

tradstar-blog-traducao-na-literatura-suzanne-glass

 

Título original: The Interpreter
País: Estados Unidos
Tradução: (ainda sem tradução para o português)
ISBN-10: 0099278073
Selo: Arrow Books; edição de 2000

Dominique Green é uma brilhante intérprete simultânea da ONU. Muito modesta para afirmar isso de si mesma, é claro, mas há outros personagens que nos informam sobre o seu sucesso. Durante um trabalho em uma conferência farmacêutica em Manhattan, ela acidentalmente ouve uma conversa sobre um possível avanço no tratamento do HIV e a intenção de manter a informação em segredo. Para complicar o dilema ético de Dominique, um de seus amigos mais próximos está morrendo de AIDS. Ela também conhece um médico italiano que realiza pesquisas para uma indústria farmacêutica norte-americana e eles acabam se apaixonando. Coincidência, lealdade e ética são temas centrais. Depois de vislumbrar os meandros da árdua profissão, os leitores poderão olhar para as Nações Unidas com respeito renovado.

O livro também inspirou o filme The Interpreter (2005), com Nicole Kidman e Sean Penn. Veja aqui o trailer.
Sugestão de Tereza Braga

………………………………………………………………………………………..

Conhece mais alguma obra que retrate ou mencione tradutores ou intérpretes? Escreva para julia@tradstar.info que a gente publica sua dica aqui também.