Google preserva línguas em extinção

O Google lança o superprojeto “Idiomas em Risco” para ajudar a preservar línguas que estão ameaçadas por falta de falantes. Prevê-se que metade das quase 7 mil línguas ainda faladas no mundo desaparecerão até o ano de 2100. A tecnologia do site Google pode ajudar a salvar registros dessas línguas, pois através do site Endangered Languages, textos e gravações multimídia são armazenados para formar um banco de dados online do idioma.

O projeto ressalta a importância de uma língua como sistema de comunicação e tem pretensões de tornar-se um acervo de conhecimento, valores culturais e históricos.

No site, um mapa do mundo localiza os idiomas com nível de ameaça. Os mais críticos aparecem em vermelho. O mapa mostra ainda várias áreas do Brasil, considerando o idioma paraense xipaya “criticamente em risco” por ter somente dois falantes vivos. Outras línguas ameaçadas que aparecem no mapa incluem o yaté (Pernambuco), xokleng (Paraná), Karo (Rondônia) e kaiwá (Mato Grosso do Sul).

“Com frequência, a perda de uma língua está relacionada à opressão e à injustiça” – parte do vídeo disponível no site e que você também pode conferir abaixo: